CENTRO DE ANDROLOGIA E UROLOGIA

Dieta para bexiga dolorosa e prostatite crônica

               As pessoas acometidas da doença freqüentemente apresentam períodos de melhora ou piora modificando a resposta ao tratamento.  

                  As sensibilidades alimentares são cada vez mais conhecidas, porém, nem sempre são diagnosticadas.

              Os  alimentos mais frequentemente envolvidos com alergia alimentar são:ovos, peixes e frutos do mar, soja, amendoim, nozes, castanhas e glúten. O consumo desses alimentos pode desencadear uma reação alérgica no organismo. A bexiga contém células capazes de liberar grandes quantidades de histamina e outras substância inflamatórias causando dor e outros sintomas irritativos.

              Alguns estudos sugerem que mais de 90% pessoas conseguem identificar algum tipo de alimento, bebidas ou suplementos alimentares que provocam piora dos sintomas. Para alguns, os sintomas podem piorar até cerca de 4 horas após o consumo desses alimentos.  Sendo assim, a eliminação de alguns alimentos pode trazer benefícios.

              Entre os alimentos que devem ser evitados podemos citar o café, bebidas alcoólicas, alimentos temperados. Todos os tipos de temperos industrializados, vinagre e molhos para saladas, são altamente desaconselháveis.

              Infelizmente a lista de alimentos potencialmente prejudiciais é ampla e o efeito sobre cada indivíduo é variável. Alguns esquemas de tratamento recomendam afastar todos os alimentos suspeitos durante uma semana. Se houver melhora dos sintomas, cada alimento pode ser reintroduzidos gradativamente, avaliando-se seu efeito sobre uma possível piora dos sintomas.

              Se você gosta de comida mexicana, tailandesa ou indiana, esqueça. Pimenta, nem pensar.

              O consumo de alimentos ou suplementação moderada com substâncias anti-oxidandes também poderia trazer benefícios. O uso de bicarbonato de sódio nas refeições parece produzir melhora dos sintomas.

              O uso glicerofosfato de cálcio tem sido recomendado durante as principais refeições pois, agiria diminuindo a acidez dos alimentos.

 

Como é possível alimentar-se, considerando todas restrições?

              A enfermeira Wendy Cohan, no seu Livro; The Better Bladder Book, relata sua recuperação completa de um quadro de cistite intersticial e relaciona uma dieta anti-inflamatória.

 

Alimentos permitidos.

 

 

 

 

Frutas:

Frutas não muito doces ou pequenas quantidades de suco de frutas; escolher entre maças, peras, damasco, cereja, mirtilo, blueberries, pêssegos, framboesa, morango, caqui.  Pode haver uma certa intolerância até que a bexiga esteja recuperada.

 

Vegetais:

Vegetais crus, assados ou no vapor.

Escolher entre vagens, abobrinha, brócolis, couve-flor, repolho chinês, alcachofra, inhame, batata doce, pepino, aipo, cenoura, alface e outros vegetais e ervas verdes. Tente também feijão macuco e couve-de-bruxelas.

Evite somente os vegetais que parecem problemáticos. Algumas pessoas parecem especialmente sensíveis aos vegetais ricos em oxalato; couve, beterraba, espinafre, ruibarbo.

Muitas pessoas também reagem negativamente aos vegetais da família das solanáceas (batata, tomate, pimentão).

 

Grãos:

Arroz, milheto(milho safrinha), amaranto, trigo sarraceno, arroz selvagem, quinoa e outros grãos, porém em pequenas quantidades. Você pode tentar pequenas quantidades de pão e massas que não contenham glúten.

 

Proteínas:

Salmão, truta, linguado, bacalhau. Os frutos do mar devem ser frescos ou congelados, evitando a liberação de grandes quantidades de histamina.  Perú, frango, carneiro e carne de gado. Evitar carne  de porco e de gado confinado.

 

Castanhas, sementes e óleos:

Óleo de oliva virgem e extra virgem, óleo de girassol, óleo de gergelim, manteiga de amêndoas e óleo de coco. Nozes, sementes de abóbora, amêndoas, gergelim, tohini (pasta de gerglim). O coco não deve conter açúcar.

 

Bebidas:

Água mineral, leite de arroz, leite de amêndoas e leite de cânhamo. Chás de ervas suaves e bem diluídos. Sucos de frutas e vegetais frescos, escolhidos entre os permitidos.

 

Temperos:

Endro, orégano, coentro, alecrim, tomilho, açafrão, sal marinho, algas, gengibre.  Pode haver intolerância ao alho; tente pequenas quantidades. A tolerância à canela também é variável.

 

Adoçantes:

Xarope de agave e stevia. Algumas pessoas não toleram o aspartame.

O leite com pequena quantidade de  café descafeinado também pode ser adoçado com pequenas quantidades de mel.

 

 

Alimentos que devem ser evitados.

 

 

 

 

 

 

Frutas:

Frutas cítricas. Indivíduos parcialmente curados podem utilizar lima e limão em pequenas quantidades, apenas como tempero. Frutas secas, especialmente aquelas com grande quantidade de dióxido de enxofre, normalmente utilizado para manter a cor. Uvas. Há outras frutas que pioram alguns indivíduos, apesar de derem alcalinas e anti-inflamatórias.

 

Vegetais:

Batata, berinjela, pimentas vermelhas ou verdes, tomates. Evitar esses alimentos pode ser importante se o paciente apresenta artrite ou dores articulares. Os tomates crus parecem ter melhor tolerância do que os cozidos.

 

Grãos:

Grão que contêm glúten, incluindo trigo, cevada, centeio. A aveia pode ser tolerado por alguns.

 

Proteína animal:

Carne de gado confinado e porco. Alimentos processados como bacon, salame, copa, defumados e outros embutidos. Alguns embutidos contêm glúten.

Mariscos.

Ovos; algumas pessoas podem tolerar os ovos utilizados no preparo de biscoitos, bolos e outros produtos. Se houver intolerância ao ovo de galinha, tente o de pato (pata, é claro).

 

Nozes:

Amendoim e manteiga de amendoim. Evitar outras nozes escuras, descoloradas, ou aquelas com odor rançoso.

 

Legumes:

Feijão e lentilha, exceto em pequenas quantidades. Aquelas sensíveis aos alimentos ricos em oxalato devem ter cuidado especial.

 

Produtos de uso diário:

Leite, creme, iogurte, queijo e outros produtos feitos com leite de vaca. Evitar também a manteiga; todas as margarinas e pastas que contêm gordura trans. Evitar também a maioria dos óleos refinados, especialmente os processados com calor.

 

Bebidas:

Bebidas carbonadas; soda; chá preto; álcool; suco de frutas cítricas.

 

Temperos:

Pimenta Caiena. Páprica, pimenta preta e outras pimentas.

 

Adoçantes:

Açúcar refinado, incluindo o branco e o mascavo. Açúcar de milho.

Aspartame, sacarina.

 

Plano:

             Reintroduza cada alimento procurando identificar aqueles que lhe fazem mal mas, sempre evite glúten, açúcar e soja.

 

Recomendação:

            Uma lista de alimentos pode ser apavorante. Procure uma nutricionista especializada em dieta antiflamatória. Certamente tudo ficará mais fácil.

 

Dr. Paulo Roberto Sogari

CREMERS 10865