CENTRO DE ANDROLOGIA E UROLOGIA

Urodinâmica - Saiba mais

                O aparelho urinário inferior é formado pela bexiga, uretra e estruturas especializadas na retenção e que são conhecidas como esfíncteres. Essas estruturas possuem uma inervação complexa e funcionam de maneira integrada.

           Durante o armazenamento de urina, a bexiga relaxa e os esfíncteres permanecem contraídos.

           O enchimento da bexiga é inicialmente acompanhado de um primeiro desejo de urinar. Essa sensação poderá ser perfeitamente controlada. Mais adiante há uma sensação mais forte, mas ainda controlável. Finalmente ocorre um desejo miccional com forte intensidade e você precisará esvaziar a bexiga. Todo esse processo ocorre sem qualquer sensação dolorosa; a dor é um elemento estrando à função do aparelho urinário.

           Durante a micção, os esfíncteres relaxam e a bexiga se contrai até o esvaziamento completo.

           Os distúrbios do aparelho urinário inferior poderão se manifestar através de dificuldade para urinar ou incontinência (perda) de urina, entretanto, as causas podem ser completamente diferentes.

           Você poderá apresentar dificuldade ou retenção urinária porque há alguma coisa obstruindo o aparelho urinário, se há uma diminuição da força de contração da bexiga, ou ambas. A incontinência urinária poderá ocorrer porque a bexiga contrai quando não deveria ou se os esfíncteres são deficientes em impedir os escapes de urina.

           Há inúmeras doenças que podem afetar o funcionamento do aparelho urinário inferior, incluindo crescimento da próstata, doenças neurológicas, diabete, ¨bexiga caída¨, estenoses de uretra, cirurgias prévias, etc.

            A urodinâmica serve para avaliar exatamente as causas dos problemas correlacionando-os com os demais exames.

             O exame é realizado através de sondas muito finas que são introduzidas na bexiga através da uretra. Há ainda uma outra sonda que é introduzida através do ânus ou vagina, registrando todas as variações de pressão fora da bexiga.

              As sondas são lubrificadas com gel anestésico e a introdução das mesmas produz apenas um leve desconforto.

              Quando necessário, o esfíncter voluntário é monitorizado através de eletrodos de contato (semelhantes aos usados no eletrocardiograma) que são posicionados próximo ao ânus.

              A seguir começa o enchimento da bexiga com soro fisiológico e todos os eventos são registrados.

​              (vídeo)

              1.      Primeira sensação.

              2.      Primeiro desejo.

              3.      Forte desejo.

              4.      Urgência urinária.

              5.      Incontinência urinária associada à urgência.

              6.      Incontinência urinária associada ao esforço (tosse).

              7.      Início da micção.

              8.      Pressão da bexiga durante toda a micção e fluxo urinário simultâneo.

              9.      Comportamento dos esfíncteres durante a micção.

             10.   Resíduo de urina após a micção.

              O enchimento e o esvaziamento duram menos de 10 minutos.

              Não é necessário repouso e você poderá retomar suas atividades normais.


              A vídeo urodinâmica é uma variação do exame e todo processo de armazenamento e esvaziamento da bexiga são acompanhados através de Rx. Nesse tipo de exame usa-se contraste radiológico para encher a bexiga e qualquer tipo de alergia à contraste radiológico deverá ser mencionada.


Dr. Paulo Roberto Sogari

CREMERS 10865

Vídeo - Traçado urodinâmico.