CENTRO DE ANDROLOGIA E UROLOGIA

Vasectomia.

             A vasectomia é o meio de anticoncepção masculina cada vez mais empregado em todo o mundo. É um procedimento cirúrgico simples, realizado em regime ambulatorial e com anestesia local, onde os ductos deferentes (esquerdo e direito), responsáveis pelo transporte dos espermatozóides desde os testículos até próximos da próstata, são ligados e seccionados. A chance de recanalização espontânea é quase impossível. Porém, o procedimento pode ser revertido cirurgicamente, com um microscópio cirúrgico e alto índice de sucesso, em mãos treinadas para este fim.

            Existe alguma correlação entre o câncer de próstata e a vasectomia? O câncer de próstata é o tumor maligno mais freqüente no sexo masculino e a segunda causa de morte por neoplasia em homens. É sugerido que todos os homens, a partir dos 40-45 anos de idade, façam a avaliação da próstata anualmente, que consiste em um toque retal associado ao exame de sangue chamada antígeno prostático específico (PSA).

            A possibilidade da relação entre a vasectomia e o câncer de próstata levantada por um autor chamado Rosenberg, em 1990, fez com que a Organização Mundial da Saúde reunisse um grupo de investigadores, em Genebra, para avaliar e estudar tal situação. A conclusão deste grupo foi de que, com os dados daquela época, não havia tal tendência e um estudo prospectivo deveria ser realizado. Posteriormente, a Associação Americana de Urologia formou um comitê para rever estes dados, e a conclusão também foi de que não existe relação entre a vasectomia e o câncer. Logo após, o Instituto Nacional de Saúde dos EUA também realizou uma reunião para tal finalidade e declarou que não existia motivo de preocupação, uma vez que não há nenhuma relação entre o procedimento e o tumor.

            Muitos pacientes, ainda hoje, temem ser submetidos à vasectomia pelo medo de disfunção erétil, perda de orgasmo ou ejaculação, ou mesmo desenvolvimento de câncer da próstata. A vasectomia não melhora nem piora a performance sexual do indivíduo. A ejaculação também não sofre nenhuma modificação uma vez que menos de 10% do ejaculado provém dos testículos. Isto é, 90% do volume do ejaculado é proveniente das vesículas seminais e próstata, não havendo então diminuição deste volume. Porém, muitos estudos já foram realizados com o intuito de identificar uma possível relação entre a cirurgia e o tumor, mas nunca foi detectada.

     

Dr Carlos Teodósio Da Ros

CREMERS 16962